O que é ter Atitude Adotiva – por Savio Bittencourt

Muitas pessoas se interessam pelo assunto mas não pensam em adotar, no entanto, podem ter uma Atitude Adotiva. Descubra como nesse excelente texto do Dr. Sávio Bittencourt!

“Toda pessoa pode colaborar

com a divulgação da nova cultura da adoção.”

Sávio Bittencourt

Uma Campanha pela Adoção sempre deve começar pela ATITUDE ADOTIVA.

Toda pessoa pode colaborar com a divulgação da nova cultura da adoção, para que este gênero de filiação possa ser entendido pela sociedade como realmente é: um encontro de amor, terno e eterno, que se destina a formação de um vínculo de paternidade ou maternidade responsável.

Mesmo que uma pessoa não se sinta apto ou não deseje adotar uma criança, sua participação nesta causa é valiosa: pode ajudar a vencer preconceitos, reverter abandonos, educar a juventude e dialogar com as autoridades.

Todo tipo de colaboração é bem-vinda. Você pode:

- Apadrinhar afetivamente uma criança institucionalizada, visitando-a, dando a ela um pouco de afeto;

- Ser voluntário numa instituição de acolhimento (abrigo), de acordo com sua aptidão e tempo disponível;

- Criar ou apoiar um grupo de apoio à adoção, promovendo reuniões sobre o tema, para preparar de pais adotivos bem informados e, dialogar com o Ministério Público, a Magistratura e as equipes técnicas para encontrar soluções para as crianças sem família;

- Ser família acolhedora de crianças em situação de risco social;

- Realizando debates, palestras e eventos nas escolas, igrejas, universidades e nos meios de comunicação sobre o tema, divulgando a adoção como uma forma segura de colocação de crianças em família;

- Se informar sobre a adoção em seus aspectos legais para poder aconselhar os que desejam descumprir a lei e se expor ao risco de uma “adoção ilegal”.

- Vestir a camisa da adoção, usar um boton ou adesivo para que a sociedade se acostume a ver o nome adoção, deixando de ser tema de segredo familiar e possa ser celebrada como uma encontro de almas;

- Visitar um abrigo para tomar conhecimento da existência de crianças que não vivem em família e descobrir a razão pela qual elas não retornam a suas famílias, nem são dirigidas a outras;

- Dizer ao seu filho, ainda que ele seja apenas biológico, que o ama muito e, desta forma, adotá-lo hoje mesmo;

- Realizar campanhas periódicas para tratar do tema, concursos em colégios para frases ou redações sobre adoção, ir ao abrigo promover um torneio de futebol, uma peça de teatro, uma festa de natal.

- Você pode, inclusive, ser pai ou mão por adoção e descobrir um tipo de amor diferente e contundente, que pode transformar sua vida e mostrar que todos nós podemos viver amores sem fim e sem tipologias impostas. Amor e liberdade.

FAÇA UMA CAMPANHA NA SUA CIDADE!!!

Você pode romper a passividade e ser um agente de transformação amorosa do mundo, com atitudes bem simples e ao seu alcance. Um grupo de amigos, os companheiros de um futebol e oss irmãos de uma igreja podem ser motivados para esta luta: dar a cada criança uma família, seja a sua de origem, seja a adotiva, qualquer uma das duas, desde que amorosa.

Há muitos fazeres. Escolha sua missão.

PARA PENSAR:
“DEUS NOS DÊ SABEDORIA PARA DESCOBRIR O CERTO, VONTADE PARA ESCOLHÊ-LO E FORÇA PARA FAZÊ-LO DURAR”

REI ARTHUR, NO FILME LANCELOT

Fonte: http://www.adocaobrasil.com.br/2011/12/o-que-e-ter-atitude-adotiva-savio.html
savio.estado@terra.com.br
savio.blog.terra.com.br

About these ads

2 comentários sobre “O que é ter Atitude Adotiva – por Savio Bittencourt

  1. VCs indicam abrigos para trabalhos nos fins de semana?

    Onde adquirir adesivos e botons?

    Agradeço
    e parabenizo o trabalho lindo

  2. Maravilhoso, Gi. Perfeito!!
    Ter uma atitude adotiva é essencial e nossa sociedade precisa aprender a conviver e a amar este tema! Mais do que isto, acho que a gente precisa aprender a encarar a adoção SEMPRE como algo positivo, como um verdadeiro encontro de almas, como o texto diz.
    Assim, acho importante mudar a forma de ver da sociedade, tando com relação às crianças adotadas como com relação aos demais envolvidos: pais biológicos e pais adotivos. A meu ver, devemos apoiar os pais adotivos e a formação do novo vinculo familiar. Mas, também, incentivar a mãe ou os pais biológicos que, diante da impossibilidade de criar o filho gerado, o entregam à adoção. Esta é uma atitude nobre e sábia e não uma “maldade”. Vc nao acha?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s